Advocacia Trabalhista Borges

Carteira assinada perde Auxílio Brasil? Entenda se é possível manter os dois

Quem tem carteira assinada perde o Auxílio Brasil? Esse é o benefício que substituiu o Bolsa Família. Seu pagamento iniciou recentemente, em 17 de novembro, sob novas regras. Assim, confira hoje, 24 de novembro, se é possível manter o auxílio ao mesmo tempo em que se recebe salário por emprego formal.

O pagamento do benefício se baseia em uma série de regras. Elas se voltam, principalmente, à renda familiar, bem como à constituição da família. Isto é, se ela possui dentre os seus componentes idosos, crianças, adolescentes e gestantes.

Quem tem carteira assinada perde o Auxílio Brasil?

Não necessariamente! Primeiramente pelo fato de que a regra se volta à renda familiar, e não à existência de emprego. Portanto, caso mesmo com o salário a renda familiar não ultrapasse os limites, há manutenção do benefício de forma natural. Para saber como fica deve-se somar todas as rendas da casa e dividi-las pelo número de pessoas da família que moram conjuntamente.

Por outro lado, caso haja a extrapolação da renda máxima por pessoa (R$ 100 ou R$ 200), ainda assim não há cessação do benefício. Afinal, a lei permite que quem conseguir um emprego poderá se manter no programa por até 24 meses. Igualmente, poderá receber um adicional ao programa.

Ou seja, nesse caso garante o recebimento de salário, auxílio e, ainda, de um bônus. Para tanto a renda obtida com salário não deve superar, por pessoa da família, R$ 250 ou R$ 450, a depender se o enquadramento era em família de extrema pobreza ou de pobreza.

Qual é o valor do Auxílio Brasil para quem tem emprego com carteira assinada?

O valor é variável. Afinal, há uma série de novos auxílios que influenciam no cálculo final do benefício. Dessa maneira, o que se sabe é que os benefícios tiveram uma alta, em média, de 17%. Com isso, o valor médio deles será de R$ 217,18, embora não haja garantia de que todos receberão esse valor.

Ainda, cabe ressaltar que embora haja uma promessa de pagamento de R$ 400 mensais por parte do governo federal, esse não será o valor pago no momento. Afinal, ainda não houve a aprovação de projetos de lei que custeariam o benefício.

Assim, espera-se que esse aumento ocorra em janeiro de 2022. Além disso, lembre-se de que a família pode receber um bônus de emancipação, pago justamente pela entrada no mercado de trabalho.

As notícias publicadas e reproduzidas nessa plataforma são de inteira responsabilidade de seus atores (citados na fonte). Dessa forma, os mesmos não traduzem necessariamente a opinião da Advocacia Trabalhista Borges.

Quer saber mais sobre direito trabalhista?  Fale com nossa equipe, agora!

FONTE: FOLHAGO

Se você precisa de uma assessoria de direito trabalhista, fale com a gente:

Caso queira enviar seu currículo para trabalhar com a Advocacia Borges