Advocacia Trabalhista Borges

Trabalhador consegue dano moral por ameaça de dispensa

Trabalhador receberá R$ 20 mil de dano moral. Testemunha conta que ele era chamado de “mulherzinha” quando dizia que estava cansado.

O juiz do Trabalho Eduardo Rockenbach Pires, da 38ª vara de SP, condenou um bar a pagar R$ 20 mil de indenização a trabalhador que vivia sob ameaças de dispensa. Para o magistrado, está configurado o dano moral.

De acordo com o autor, o bartender pleno tinha um comportamento extremamente agressivo e abusivo psicologicamente com seus subordinados, além de humilhá-lo na frente dos demais colegas. Segundo testemunhas, o bartender pleno da manhã pressionava o trabalhador, o chamava de “mulherzinha” quando dizia que estava cansado, o ameaçava de sofrer consequências.

Ao analisar o caso, o magistrado entendeu que o dano moral restou configurado. O juiz afirma que as declarações de uma das testemunhas demonstram “de forma evidente o comportamento inaceitável e abusivo do bartender”. Já a outra testemunha indicou, que o comportamento do homem poderia extrapolar os limites aceitáveis.

O magistrado observou que “o áudio em apartado demonstra que os subordinados tinham de se sujeitar às vontades de (…), ainda que relativas às atividades do trabalho, sob ameaças de dispensa”.

Assim, fixou em R$ 20 mil o valor da indenização.

O advogado Vitor Matera Moya atuou pelo trabalhador.

Veja a íntegra da decisão.

Essa simples solução diminui de sete por mil, para 0,69 por mil os acidentes nas minas. Esse exemplo serve para refletirmos que pequenas soluções podem poupar vidas, evitar afastamentos, aumentar a produção e evitar litígios judicais ente empregados e empregadores. Entretanto, infelizmente, a relação de trabalho é vista como custo, lucro e custo, e não como uma relação humana.

Fonte: Migalhas.com.br

Se você precisa de uma assessoria de direito trabalhista, fale com a gente:

Caso queira enviar seu currículo para trabalhar com a Advocacia Borges